30.4.07

Mediterrâneo em Fátima

1 - Anacamptis morio (Obrigado, Green Man, pela identificação desta orquídea roxa. Há uma muito semelhante, que se chama Orchis champagneuxii, no Serra da Adiça.)
2 -
3 - Allium roseum
4 - Orchis itallica
5 - Madressilva (Lonicera)







28.4.07

O menino das lágrimas


Este menino já ganhou ao outro. Tem duas lágrimas. Está à venda nas melhores lojas da especialidade, em Fátima.

22.4.07

Bryn Terfel - "Tannhäuser" - Estrela da Noite


O du, mein holder Abendstern


Wolfram [ist zurückgeblieben; er hat Elisabeth lange nachgesehen, setzt sich links am Fuße des Talhügels nieder, ergreift die Harfe, und beginnt nach einem Vorspiele]

Wie Todesahnung Dämmrung deckt die Lande,
umhüllt das Tal mit schwärzlichem Gewande;
der Seele, die nach jenen Höhn verlangt,
vor ihrem Flug durch Nacht und Grausen bangt.

Da scheinest du, o lieblichster der Sterne,
dein sanftes Licht entsendest du der Ferne;
die nächt'ge Dämmrung teilt dein lieber Strahl,
und freundlich zeigst du den Weg aus dem Tal.

O du, mein holder Abendstern,
wohl grüßt' ich immer dich so gern.
Vom Herzen, das sie nie verriet,
grüße sie, wenn sie vorbei dir zieht,
wenn sie entschwebt dem Tal der Erden,
ein sel'ger Engel dort zu werden!



Wolfram (ficando só; depois de olhar longamente para Elisabeth, senta-se junto à colina, pega na harpa e, após um prelúdio, canta)

Como uma visão da morte, a noite cobre a Terra,
abraçando o vale com um manto negro.
A alma, que procura as alturas,
treme antes de partir, voando na escuridão.

E então tu apareces, a mais querida das estrelas,
enviando de longe a luz suave.
O teu raio abre a escuridão nocturna
e, como um amigo, tu mostras o caminho.

Tu, minha cara estrela da noite,
sempre te saudei com alegria.
Do coração, que nunca a traíu,
saúda-a quando ela passar por aí,
quando ela deixar os vales desta Terra
para ser um anjo perto de ti.

18.4.07

Cabo da Roca

2 e 3 - Afinal é Thapsia maxima
4 - Cistus crispus (roselha)
5 - Armeria pseudarmeria (cravo-romano)





17.4.07

Ceibas e Chorisias - outra vez

Andei outra vez a pesquisar, uma vez que as dúvidas persistem. Para mais esclarecimentos, visitem o Dias com Árvores nesta página.

16.4.07

Pittosporum tobira

As abelhas adoram o perfume, que se parece com o da flor da laranjeira.
Hoje, junto à Torre de Belém. Mais informações aqui.

15.4.07

25 de Abril - 33 anos depois


























Faltam dez dias, mas já me apetece comemorar hoje, não vá o Diabo tecê-las. Desde que aquele de quem não podemos dizer o nome é o melhor português de sempre, convém estarmos prevenidos.

"A Poesia está na Rua"
Vieira da Silva





















































































14.4.07

13.4.07

Birgit Nilsson - Liebestod

Birgit Nilsson dizia que para cantar Isolda bastava ter uns sapatos confortáveis. Ei-la, numa magistral interpretação de Mild und leise, a morte de amor de Isolda. Segundo um amigo meu, neste dia ela estava particularmente bem calçada.

Sophia

Ia e vinha
E a cada coisa perguntava
Que nome tinha.

Sophia de Mello Breyner Andresen

12.4.07

Fotínia - Telheiras

Que árvore será esta? Abril, Telheiras.
(Também já a vi na Rua da Junqueira, perto do Centro de Congressos de Lisboa.)
É uma
fotínia.
(Os meus agradecimentos ao Dias com Árvores)


11.4.07

Birgit Nilsson - Götterdämmerung

Dois excertos das gravações da cena final de "Götterdämmerung" (Crepúsculo dos Deuses), com a Orquestra Filarmónica de Viena e Georg Solti. Birgit Nilsson é surpreendida pela entrada de um cavalo no estúdio. É Grane, com o qual Brünnhilde se atira ao fogo.

10.4.07

Callas - Medea e Parsifal

Ainda a propósito das conversas com Visconti.
A "Medea" do Scala, que tinha Jon Vickers no papel de Giasone.




E "Parsifal" em Italiano! A Kundry de Callas em 1950.
Retirado...

9.4.07

Callas e Visconti à conversa

Korngold - Anne Sofie von Otter

Anne Sofie von Otter canta "Mariettas Lied": Glück, das mir verblieb, de "Die Tote Stadt" ("A Cidade Morta"). Paris, Théâtre du Châtelet, 2000. Na Gulbenkian, foi tal e qual.

6.4.07

Albufeira - falésias

Ponta da Piedade

Newsletter do T. N. de São Carlos - Vivaldi


























Motezuma. Antonio Vivaldi

4. 9. 10. 11 Abr. 2007 às 20:00h; 5. Abr. às 16:00h
Teatro Nacional de São Carlos

Motezuma, a ópera agora redescoberta de Antonio Vivaldi, é apresentada no Teatro Nacional de São Carlos em estreia absoluta na versão encenada nos tempos modernos.
Redescoberta em 2002 no arquivo da biblioteca musical da Sing-Akademie de Berlim, esta ópera estreia agora no São Carlos pela mão do maestro Alan Curtis que dirigiu a estreia moderna de Dionisio re di Portogallo naquele Teatro. Considerado um dos mais notáveis intérpretes do repertório barroco, dirige a orquestra Il Complesso Barocco, dedicada ao repertório vocal de câmara, do Renascimento tardio ao Barroco, que actua com instrumentos originais nas produções líricas que dirige.
O encenador italiano Stefano Vizioli regressa ao São Carlos depois de ter encenado La Bohème no CAE da Figueira da Foz (em co-produção com o TNSC). A equipa artística conta também com Lorenzo Cutùli na assinatura da cenografia, Annamaria Heinreich na concepção dos figurinos e Nevio Cavina no desenho de luz.
Do elenco destaca-se o regresso de Vito Priante, o Don Giovanni de Il dissoluto assolto de Azio Corghi, para interpretar o papel titular, Motezuma, e a presença de Mary-Ellen Nesi no papel de Mitrena, Maite Beaumont no papel de Fernando Cortés, Laura Cherici na interpretação de Teutile, Theodora Baka na personagem de Ramiro, e Gemma Bertagnolli na interpretação do papel de Asprano.

2.4.07

ABBA

A não perder! A descoberta do meu amigo Murnau. French and Saunders recriam os ABBA: C'est la vie, c'est la vie. C'est good for you, c'est bad for me...

Callas - Macbeth - Nel dì della vittoria

Retirado...

Birgit Nilsson - Macbeth



Mais abaixo temos Mara Zampieri na mesma cena: Lady Macbeth sonâmbula. De 31 de Maio a 8 de Junho, será Dimitra Theodossiou no Teatro de São Carlos. Mas antes ainda há Vivaldi.