30.8.08

"con sicura fede l'aspetto"

Grikos (Patmos)

Un bel dì, vedremo
levarsi un fil di fumo
dall'estremo confin del mare.
E poi la nave appare.
Poi la nave bianca
entra nel porto,
romba il suo saluto.
Vedi? È venuto!
Io non gli scendo incontro. Io no.
Mi metto là sul ciglio del colle e aspetto,
e aspetto gran tempo e non mi pesa,
la lunga attesa.
E uscito dalla folla cittadina
un uomo, un picciol punto
s'avvia per la collina.
Chi sarà? chi sarà?
E come sarà giunto
che dirà? che dirà?
Chiamerà Butterfly dalla lontana.
Io senza dar risposta
me ne starò nascosta
un po' per celia...
e un po' per non morire al primo incontro,
ed egli alquanto in pena chiamerà,
chiamerà: piccina mogliettina
olezzo di verbena,
i nomi che mi dava al suo venire.

(a Suzuki)
Tutto questo avverrà, te lo prometto.
Tienti la tua paura,
io con sicura fede l'aspetto.

(Butterfly e Suzuki si abbracciano commosse)

27.8.08

Pés Imperiais

O jornal El País informa que foram encontrados restos de uma estátua colossal de Marco Aurélio, em Sagalassos, no Sudoeste da Turquia, por uma equipa de arqueólogos da Universidade de Lovaina. Navegue no site Sagalassos Archaeological Research Project e descubra mais informações e imagens das escavações (disponíveis para descarregar) e do achamento do imperador.

Pé da estátua de Marco Aurélio

Já antes tinham sido achados, na mesma jazida, fragmentos de uma estátua de Adriano, que podem ser vistos aqui e estão integrados na exposição "Hadrian: Empire and Conflict" (aconselha-se o visionamento dos vídeos), no British Museum até 26 de Outubro. Um desses fragmentos é este magnífico pé:

Pé da estátua de Adriano

(fotos daqui)

26.8.08

Museu Arqueológico de Rodes



θελω τι τ'ειπην αλλα με κωλυει αι_
δως [ ] αι δ'ηχες εσλων ιμερον η κα-
λων και μη τι τ'ειπην γλωσσ'εκυκα
κακον αιδως κεν σε οθκ ηχεν οππατ'
αλλ'ελεγες περι τω δικαιω γλυ -
κηα ματερ ου τοι δυναμαι κρεκην τον
ιστον ποθωι δαμεισα παιδως βραδιναν
δι' 'Αφροδιταν

ΣΑΠΦΩ



THÉLO TI T'IPIN (Je veux te dire)

- Je veux te dire une chose, mais
m'empêche la honte
- Si tu avais le désir de ce qui est beau et noble
et si ta langue ne s'embrouillait pas à dire des choses viles
la honte ne serait pas dans tes yeux,
mais tu parlerais comme il faut
- Mère douce, je ne peux plus tisser cette toile
vaincue par le désir d'un jeune garçon
à cause d'Aphrodite subtile

Sappho

Afrodite

"Angélique Ionatos et Nena Venetsanou chantent Sappho de Mytilène"

23.8.08

Miri it is

Miri it is while sumer ilast
With fugheles song
Oc nu neheth windes blast
And weder strong
Ei, ei! What this nicht is long
And ich with wel michel wrong
Soregh and murne and fast

(Canção inglesa do séc. XIII, interpretada por The Dufay Collective)

Merry it is while the summer lasts
With the song of birds
But now draws near the wind's blast
And strong weather
Alas, alas! how long this night is
And I, most unjustly
Sorrow and mourn and fast





Symi

16.8.08

Anteras


Mirabilis jalapa

Festivais de Verão no ARTE

O canal ARTE mostra-nos reportagens, entrevistas e alguns concertos (na íntegra) dos festivais deste Verão.

O encenador Stéphane Braunschweig fala da sua produção
de "Siegfried" em Aix-en-Provence:




Valery Gergiev e Hélène Grimaud no Festival de Verbier:


UBS Verbier Festival Orchestra
Valery Gergiev direction
Kristina Kapustynska mezzo-soprano
Hélène Grimaud piano

Shchedrin
La tzigane Grusha, aria pour mezzo-soprano et orchestre extraite de l’opéra «Le Pèlerin enchanté»

Ravel
Concerto pour piano et orchestre en Sol majeur

Mahler
Symphonie N° 5 en ut dièse mineur

14.8.08

Fake or real?


E se for tudo falso? O blogue de Nina Foresti denuncia diversas falsificações na discografia de Maria Callas, de factos da sua vida privada e da sua carreira artística e, também, de objectos que circulam em exposições que lhe são dedicadas, nomeadamente trajes e jóias de cena. Descubra as diferenças, comparando as fotos dos vestidos originais da "Traviata de Lisboa" e da "Tosca de Zeffirelli" com as dos que estão agora expostos no Museu da Electricidade.

8.8.08

Paride ed Elena

Ceci n'est pas la Grèce.

Para que não haja confusões, já que a costa turca fica logo ali ao lado; e porque desde que Páris amou a bela Helena de Esparta que gregos e troianos não se podem ver.

Anne Sofie von Otter: Oh del mio dolce ardor, de "Paride ed Elena", de Gluck
(margotlorena)
Oh, del mio dolce ardor bramato oggetto,
L'aura che tu respiri, alfin respiro.
Ovunque il guardo io giro,
Le tue vaghe sembianze
Amore in me dipinge:
Il mio pensier si finge
Le più liete speranze;
E nel desio che così m'empie il petto
Cerco te, chiamo te, spero e sospiro.

Les Amours de Pâris et d'Hélène, 1788,
por Jacques-Louis David, no Museu do Louvre (ver detalhe)

Helena estava mesmo a pensar que os seus dias eram todos iguais quando o barco aportou. Páris subiu pelas ruas estreitas até ao palácio. Sabia que no interior daqueles muros vivia a mais bela de todas as mulheres. Afrodite tinha-lho prometido e as deusas não mentem.
Páris não era um homem que se deitasse fora. As sandálias de simples tirinhas de couro mostravam um par de pés bem desenhados, alvos como marfim, sobre os quais pousavam duas pernas delicadamente esculpidas. Os seus braços seguravam a lira com a mesma firmeza com que pegava no arco e os seus dedos eram tão atenciosos para com as cordas que tangia como para com o fio que puxava quando disparava uma flecha certeira. E aqueles caracoizinhos loiros? Não, eram irresistíveis. Helena tinha de partir e mandar o aborrecido Menelaus ver se chovia. Não havia de vir mal ao Mundo se mais um marido fosse abandonado e trocado por outro. Enfim, talvez uma guerrita que durasse uns dez anos, ou coisa assim.
Foi só o tempo de pôr umas túnicas na trouxa, mais umas fitas para o cabelo, e, quando a noite ia a meio e os homens dormiam embalados pelo retzina, partiram ambos, levados pela brisa do Egeu.

6.8.08

Uma flor

Caesalpinia gilliesii
(...)
Although it is a tropical plant adapted to dry climate, it also thrives in the climate of Avsa and neighbouring islands in the south of Sea of Marmara in northwestern Turkey, where it is commonly known as Paşabıyığı (Pasabiyigi), Cennetkuşu ağacı (Cennetkusu agaci), which in Turkish means "bird of paradise tree", and Bodurakasya, which means "dwarf acacia".
(Wikipedia)

5.8.08

Cores e aromas

As especiarias do mercado egípcio, as delícias turcas, o chá de maçã, a baklava.




3.8.08

O Rapto do Serralho

Podemos pensar que o rapto que Mozart imaginou no harém do paxá Selim seria parecido com este:

(bejun)

Mas se quisermos provocar um grande escândalo e ser falados pela imprensa mundial, contratamos o encenador catalão Calixto Bieito e ele concebe para nós "Die Entführung aus dem Serail" assim:

O Harém de Topkapi

O espaço mais íntimo e inexpugnável do palácio era, naturalmente, o harém. Aqui viviam o sultão, a sua mãe, as esposas, as concubinas, os príncipes e os eunucos. O sultão, as esposas, a rainha mãe e as crianças eram entretidos no salão imperial. O sultão sentava-se no trono e as mulheres na galeria à esquerda.



Pátio dos Eunucos

Aposentos da Rainha Mãe

Salão Imperial

Aposentos de Murat III

1.8.08

Topkapi





Sobre a colina da acrópole de Bizâncio, olhando para o Corno de Ouro e para o Bósforo, para um pedaço da Europa e outro da Ásia, estende-se o palácio que foi a principal residência dos sultões otomanos de meados do séc. XV, quando Mehmed II conquistou Constantinopla, até ao séc. XIX.
Nos pátios encontram-se os pavilhões destinados a diversas funções. No Divan reunia-se o concelho imperial. É um espaço decorado com azulejos de Iznik e talha rococó.



Biblioteca do Sultão Ahmet III

Pavilhão Revan

O Bósforo visto do palácio de Topkapi