30.12.08

Elektra - Gulbenkian - I


Quase cem anos após a estreia mundial de "Elektra", em Dresden, Deborah Polaski vem cantá-la a Lisboa, em versão de concerto. É já em Janeiro.
A música que Richard Strauss compôs para o libreto de Hugo von Hofmannsthal é esmagadora, tal como a tragédia que ela exprime, e foi um passo tão largo em direcção ao modernismo que assustou o próprio compositor e o levou a optar por caminhos menos turbulentos nas óperas seguintes. Cem anos passados, a "Elektra" ainda assusta muita gente.

Allein! Weh, ganz allein

(Onegin65)

* Quinta, 15 Jan 2009, 20:00 - Grande Auditório
* Segunda, 19 Jan 2009, 20:00 - Grande Auditório

ORQUESTRA GULBENKIAN
LAWRENCE FOSTER (maestro)
DEBORAH POLASKI (soprano) - Elektra
ROSALIND PLOWRIGHT (soprano) - Klytämnestra
JOHAN BOTHA (tenor) - Aegisht
STEPHANIE FRIEDE (soprano) - Chrysotemis
JOCHEN SCHMECKENBECHER (barítono) - Orest

Richard Strauss
Elektra, op. 58

28.12.08

A Árvore de Natal

Uma pessoa de bom gosto usa capelines bonitas, calça sapatos finos e escolhe o melhor abeto para a sua árvore de Natal. É por isso que eu também não entendo e fico chocado com tamanha insensibilidade. Acho mesmo muito importante salvar as florestas tropicais da destruição. Aliás, todas.


23.12.08

Especial Natal

Christkindlmarkt



Kohlmarkt

Graben

Virgem com o Menino e São José,
de Joos van Cleve, ca. 1530

Sagrada Família com Santa Ana e João Baptista,
de Bronzino, ca. 1540


(As fotos são minhas, os originais estão no Kunsthistorisches Museum Wien)

22.12.08

"Fidelio" no CCB

O grande auditório do CCB esteve longe de encher para a versão de concerto de "Fidelio", talvez por lhe faltar o atractivo da encenação. Entenda-se, aqui, por versão de concerto, uma récita em que os cantores produzem alguma movimentação cénica e interagem de modo a tornar o libreto mais perceptível, em vez de se levantarem e sentarem consoante cantam ou estão calados.

Julia Jones é maestrina titular da Orquestra Sinfónica Portuguesa e conseguiu pô-la a tocar certinho - nada mau.

Matthias Hölle (Rocco) e, principalmente, Greer Grimsley (Don Pizzaro) estiveram bem, mas o destaque vai para Simon O'Neill e Anja Kampe, ambos com credenciais promissoras. Anja Kampe já cantou os papéis de Leonore/Fidelio em Glyndebourne, Sieglinde em Washington (com Placido Domingo), cantará Senta em Londres, Munique e Madrid e estrear-se-á como Isolde em Glyndebourne. Em Lisboa estava constipada mas permitiu-nos constatar que há boas razões para seguirmos a sua carreira com atenção. O mesmo pode ser dito de Simon O'Neill. No seu site podemos ver excertos de gravações ao vivo e um documentário de 2004 sobre o seu trabalho como suplente (The Understudy) de Plácido Domingo, para o papel de Siegmund, no Met.

Simon O'Neill como Siegmund (Met, Nova Iorque)

21.12.08

Juanita Castro

Gonçalo Ferreira de Almeida e Álvaro Correia

A não perder, na Casa Conveniente, em frente ao bar Jamaica (Cais do Sodré). Estreia hoje. A encenação é de Miguel Loureiro, Álvaro Correia é Juanita e Luz Câmara é Fidel.

21, 22, 23, 27, 28, 29 e 30 de Dezembro de 2008, às 21h30
Informações e reservas


18.12.08

Beethoven no CCB

Beethoven por Joseph karl Stieler (1819-20),
na casa de Beethoven, em Bona (imagem da net)

O próximo fim-de-semana afigura-se em grande para os amantes de Beethoven. No dia 22 de Dezembro de 1808, o Theater an der Wien assistiu à estreia mundial das sinfonias nº6 e nº5 (por esta ordem), entre outras obras dirigidas pelo próprio compositor. A importância desse concerto para a história da música é, pois, fulcral.

O CCB vai comemorar o bicentenário deste acontecimento com a apresentação da ópera "Fidelio" (no dia 20 de Dezembro) e com um concerto em duas partes que repete o programa de 22 de Dezembro de 1808 (no dia 21 de Dezembro).

Esta mini-maratona junta nomes como Pedro Carneiro, Marc Minkowski, Sergio Tiempo, Artur Pizarro e Alexandrina Pendatchanska.

A ópera "Fidelio" vai ser apresentada em versão de concerto, com o elenco que se segue:

ANJA KAMPE Leonore
SIMON O'NEILL Florestan
GREER GRIMSLEY Don Pizarro
MATTHIAS HÖLLE Rocco
CHELSEY SCHILL Marzelline
MUSA NKUNA Jaquino
DON FERNANDO Mário Redondo

JULIA JONES direcção musical

ORQUESTRA SINFÓNICA PORTUGUESA
JULIA JONES maestro titular

CORO DO TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS
ANTON TREMMEL maestro convidado

Simon O'Neill como Florestan em Covent Garden

e como Siegmund, com Waltraud Meier, Daniel Barenboim e a West-Eastern Divan Orchestra
(primotenor)

14.12.08

Secession

(magic5227)


"A cada tempo a sua arte, à arte a sua liberdade"

É o que se lê na fachada da galeria de exposições da Secession, movimento fundado por um grupo de artistas dissidentes da escola tradicionalista e conservadora que prevalecia antes em Viena. Entre os nomes mais importantes da Secession estão os de Gustav Klimt, Otto Wagner, Josef Hoffmann e Joseph Maria Olbrich (o arquitecto que construiu o edifício em 1898), mas Egon Schiele e Oskar Kokoschka também mantiveram relações com ela.





Em 1902 a Secession organizou uma exposição dedicada a Beethoven e Klimt pintou um ciclo mural inspirado na interpretação de Wagner sobre a nona sinfonia: o Beethovenfries. Podemos ler aqui o significado simbólico das várias figuras representadas no friso, desde o "desejo de felicidade" até ao "beijo para o mundo inteiro" da Ode à Alegria de Schiller.

Desejo de felicidade (imagem daqui)

Este beijo para o mundo inteiro (imagem daqui)

12.12.08

Máquina de Sentar

Teria de ser o peculiar humor austríaco a inventar uma máquina de sentar. O séc. XX estava no início, Viena era a capital do Império Austro-Húngaro, a Secessão Vienense tinha sido fundada poucos anos antes, em 1897, quando um grupo de artistas decidira não continuar a criar de acordo com os cânones conservadores e historicistas. Entre esses artistas estavam Otto Wagner, Gustav Klimt e Josef Hoffmann, o pai da Sitzmachine.

Miniatura da Sitzmachine de Josef Hoffmann

5.12.08

Plantação de árvores em Monchique

Plantação de árvores (sessão extraordinária)

A plantação de árvores (pinheiros mansos e alfarrobeiras) tem avançado no Covão d'Águia, Monchique, graças à participação de voluntários. No entanto, a Fundação Kangyur Rinpoche necessita de realizar uma sessão extraordinária que decorrerá nos dias 6, 7 e 8 de Dezembro. Apelamos mais uma vez à participação. Os interessados devem contactar Dulce Alcobia através do Telemóvel 968059244 (até 6ª feira) ou do e-mail: dulcealcobia@gmail.com (até 5ª feira).

Programa:

- Abertura de covas 40 x 40

- Plantação das árvores

- Controle de acácias

- Limpeza de um tanque de rega

Deslocações: De modo a que as deslocações de carro sejam do ponto de vista económico e ecológico o mais bem sucedidas, pede-se a quem tenha lugares no carro ou precise de boleia o diga de modo a gerirmos da melhor forma, a logística dos transportes.

Alojamento: Existe a possibilidade de ficar no "Abrigo da Montanha" (na estrada da Foia); o custo do quarto para duas pessoas é de 15 euros/pessoa (sem pequeno almoço) e com pequeno almoço são mais 5 euros. Existe ainda a possibilidade de ficar na "Bica Boa" e em Karuna.

Recomendações: É aconselhável levar roupas velhas, galochas e umas boas luvas de jardinagem para proteger as mãos; podem trazer tesouras de poda ou outros equipamentos que julguem adequados para este conjunto de actividades.

Fundação Kangyur Rinpoche

Av. Infante Santo, nº 366 R/c Esq.

1350-182 Lisboa
Tel: 213 904 022

Lido aqui:
Amigos do Botânico: Plantação de árvores em Monchique - II

4.12.08

Apfelstrudel


Veja como se prepara um esplêndido folhado de maçã e faça-o você mesmo/a, seguindo a receita da senhora ou, por exemplo, esta, menos completa mas em português.

3.12.08

Capa de Música "Valquírias"

Adquirida a René Lalique por Calouste Gulbenkian em Maio de 1901
"Calouste Gulbenkian guardava aqui os desenhos da sua Colecção, da autoria de René Lalique."

2.12.08

Parabéns

Maria Callas nasceu há 85 anos.

Ária de Elisabetta:
Tu che le vanità, de "Don Carlo" (Hamburgo, 1959)

(birdy66)

1.12.08

Arte Degenerada - Karl Schmidt-Rottluff

(TheGreatPerformers)

Karl Schmidt nasceu em Rottluff no 1º de Dezembro de 1884. Em 1905, com Kirchner, foi um dos fundadores do grupo de artistas "Die Brücke". Os artistas desta associação procuravam uma ponte para novos meios de expressão que os libertassem do academismo. Com eles nasceu o expressionismo, uma verdadeira revolução que impulsionou todos os movimentos modernistas das primeiras décadas do séc. XX. Amadeo, pela mão de Otto Freundlich, também conheceu "A Ponte".

Duas Mulheres, 1914 (Von der Heydt-Museum, Wuppertal)


Na Alemanha de Hitler, Goebbels concebeu a exposição "Entartete Kunst" (arte degenerada) para ridicularizar toda a arte entendida como decadente, subversiva, perversa ou não seguidora dos cânones do que se considerava ser a grande arte germânica. Karl Schmidt-Rottluff foi um dos artistas "eleitos" para integrarem essa exposição, assim como Kirchner e outros vultos do expressionismo alemão. Mas também lá estavam obras de Matisse, Picasso, Van Gogh e Chagall. Schmidt-Rottluff acabou por ser proibido de expor e de pintar e o seu estúdio em Berlim foi destruído pelas bombas.

Três Mulheres à Beira-Mar, 1919 (Buchheim Museum, Bernried)


A historiadora de arte Rosa Schapire foi, muito cedo, apoiante do grupo "Die Brücke". Schmidt-Rottluff retratou-a várias vezes e decorou uma sala do seu apartamento em Hamburgo. Em 1939 ela partiu para a Inglaterra, fugindo às perseguições nazis, e levou consigo algumas obras do artista. Para trás ficaram a casa e várias peças de mobiliário desenhadas por Schmidt-Rottluff que desapareceram durante um raide aéreo.

Retrato de Rosa Schapire, 1919 (Tate Collection)


Em 1947, Schmidt-Rottluff, já reabilitado enquanto artista, foi convidado a leccionar na Academia de Belas Artes de Berlim, cidade onde viveu até aos 92 anos de idade.

Mulher lendo, 1950 (Brücke museum, Berlim)