10.4.09

O Calvário dos Plátanos

Em tempo de quaresma sacrificam-se os plátanos da Batalha, como de costume, para que eles condigam com as colunas podadas das capelas imperfeitas. Assim se cria um belo terreiro inóspito, enquanto os jardineiros jardinam como se aquilo se parecesse com um jardim.



No próximo dia 26 de Abril, graças ao peculiar gosto português por peixe frito e à cozinheira aposentada Guilhermina de Jesus, que, em Setembro de 2000, sofreu uma queimadura grave no olho esquerdo quando fritava peixe e lhe saltou para a vista um borrifo de óleo a ferver, o condestável será santo e, por isso, já teve direito a ablução.


Podemos gritar vitória outra vez.


16 comentários:

  1. Olá Amigo. Também fico com a garganta apertada ao ver estas martirizadas. Aqui passa-se o mesmo. Com estas "podas" qualquer um poderá ser podador. Dizem que as árvores estão adormecidas e que rebentam ainda com mais força. Pobres coitadas que essa força é muitas vezes o canto do cisne.
    Não suporto tal barbaridade!
    Um beijinho grande e boa páscoa

    ResponderEliminar
  2. :(

    A semana passada visitei um sítio relativamente perto onde construíram um parque temático. Parece (ou é) uma casa de bonecas para turista ver. Mas preservaram as árvores! Fartei-me de tirar fotos quase com receio de que com tanta gente por aquelas bandas um dia destes as cortem, porque certamente as árvores vão incomodar os turistas (má língua minha). Parece que ainda há sítios onde as árvores são permitidas. Aleluia.

    ResponderEliminar
  3. Bolas, ia-me esquecendo, boa Páscoa!
    :)

    ResponderEliminar
  4. Confrangedor, vontade de gritar. Muito mais aflitiva que a "paixão" que nos servem nestas datas: a estupidez beata e de mão no peito, a inteligência humanóide dos sabidolas actuais.

    ResponderEliminar
  5. Também apanhei um susto! Lá tinhas de contar o milagre.... sem comentários para ambos!
    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Gente estúpida.

    Só mesmo assim

    http://sombra-verde.blogspot.com/2009/04/o-autarca-modelo.html

    Boa Páscoa Paulo.

    ResponderEliminar
  7. Fico DOENTE com o que passa neste país.As câmaras municipais que permitem isto são medievais.

    ResponderEliminar
  8. Caro amigo
    Parece que combinámos os dois escrever quase ao mesmo tempo sobre aqueles cortes brutais nos plátanos por causa das Capelas Imperfeitas.
    Uma barbaridade.
    Se estavam a incomodar tanto a visibilidade daquela obra de arte, porque não transplantar os plátanos?
    Já temos maquinaria pesada capaz de fazer esse trabalho. E assim manteríamos mais unspostos de trabalho. Não é esse o objectivo de se programar gastar uns milhões (para além dos que se estoiraram com o BPN e outros que tais)?
    Um abraço e Boa Páscoa.
    António

    ResponderEliminar
  9. Paulo,

    Vou divulgar uma das tuas fotos na "sombra verde".

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  10. À vontade, Pedro.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  11. desconhecia esta prática tão laica de monda de plátanos. o resultado é desolador! já agora, hoje é 26, não é? já temos santo! uipi!
    ah, não gosto de peixe grito, 'tá! não me incluas no grupo de fãs da senhora dona Guilhemina!
    vitória, enfim! o nome da nossa gata!


    abraço

    ResponderEliminar
  12. Que peixe estaria a dona Guilhermina a fritar? Seriam pescadinhas-de-rabo-na-boca?

    Eu adoro jaquinzinhos. Voto neles.

    ResponderEliminar
  13. sim, jaquinzinhos, aceito! adoro eles! também têm o meu voto!

    ResponderEliminar
  14. Venho por este meio solicitar informação sobre a poda de Platanus e sobre o respectivo impacto biologico na propria arvore , pois recentemente onde moro deparei me com algumas podas de platanos que mutilizaram de tal forma a arvore com cortes de mais de 30 com de diametro sem colocar cicatrizante ,ao que eu indignado perguntei ao responsavel pela gestão do Aldeamento onde moro, quem podou ou mandou podar a arvore de tal forma ao que me respondeu "eu sou o presidente faço o que quero".Se arvore morrer onde se enquadra esta situação a nivel da legislaçao.

    ResponderEliminar
  15. Caro Mesquita,
    Proponho que exponha este caso, se possível com mais detalhes e fotos, ao Pedro Nuno Teixeira Santos d'A sombra verde. O link está um pouco mais acima.
    Obrigado pelo seu interesse.

    ResponderEliminar