6.7.08

À beira do Mondego



Fui lá ver e a publicidade não era enganosa. Em Coimbra, na margem esquerda do Mondego, junto à nova Ponte Pedro e Inês, está um campo de flores a olhar para a cidade. Por lá andam centáureas brancas e azuis...



... linárias amarelas...



... e outras surpresas azuis e...




12 comentários:

  1. E por esse campo tão colorido, tem muito mais encanto ... nas horas permanecidas!

    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  2. No que respeita às fotos, já conheces a minha opinião! Quanto a Coimbra, também já lá fui muito feliz... ;)

    ResponderEliminar
  3. Ophiuchus, deve ser a nostalgia a pedir que se traga o campo para as cidades, já que elas estão cada vez mais desencantadas e longe dele.

    Arion, imagino o que o Mondego diria, se falasse.

    MJ, não tem de quê.

    ResponderEliminar
  4. Lindas! E aqui tão perto... É um pecado andar sempre de carro, estas coisas passam despercebidas. Se não fosse o teu blog nunca saberia da existência delas.

    ResponderEliminar
  5. Até me lembrei de um certo jardim caótico.

    ResponderEliminar
  6. Caro Paulo
    eu de flores pouco percebo, mas sei reconhecer o que é belo...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Seria mais o Penedo da Saudade...

    ResponderEliminar
  8. Pinguim, isso é o que mais importa. Eu também não sei como se chamam aquelas flores todas.

    Arion, se ele falasse...

    ResponderEliminar
  9. arrebatadoras, simplesmente, isso. e tens cá uma pinta para fotografar o arrebatamento que é dose!
    adorei a sequência!

    ResponderEliminar
  10. Paulo, elas ficaram esmagadas com tantos elogios.

    ResponderEliminar