12.4.12

Per molts anys!

La Superba faz hoje 79 aninhos. Celebremos com alguns excertos do documentário Caballé - Beyond Music e terminemos com a Donna Elvira que cantou em Lisboa, ainda muito jovem, em 1960. Parabéns, Montse!






11 comentários:

  1. Obrigado pela prenda...que nos deste a nós...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora essa. Temos que agradecer a Ela.

      Eliminar
  2. O meu "coup de coeur" com a Caballé foi nesta ária fabulosa Bell'alme generose da Regina d'Inghilterra:

    Bell'alme generose,
    a questo sen venite.
    Vivete, omai gioite;
    siate felici ognor.
    siate felici tutti tuti tutti tutti
    ognor


    http://www.youtube.com/watch?v=4hvj4Vq9coY

    (ao minuto 3:00)

    Arrepiava-me com o siate felice tutti tutti tutti tutti...e aquele ognor final, oh céus!

    Gràcies, Montserrat.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Mário. Como não sou muito de Rossini, por vezes passam-me ao lado algumas coisas boas dele, como esta. Não conhecia.

      Eliminar
  3. Uma das melhores cantoras so século0 XX e a melhor Norma do seu tempo deixando um lugar vago ainda não preenchido. Eu tiva a felicidade de a ver em Lisboa em 1972, precisamente na Norma, e depois em Pequim em recital em 1989. Da récita da Norma guardo preciosamente a sua fotografia autografada. Se calhar algum dia vale dinheiro, pois na loja do Met vendem-se fotografias autografadas. Eu estive quase para comprar um programa autografado pela Flagstad, mas achei demais 500 dólares. Havia lá fotografias da Nilsson.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma fotografia autografada da Caballé é para guardar religiosamente, Raul.
      Existem excertos da "Norma" de Lisboa no YT: 1 e 2.

      Eliminar
    2. Caríssimo Raul,

      de facto, Caballé terá sido aquela que, de modo mais congenial, terá herdado o sacro manto envergado por Normas pretéritas, designadamente, Maria Callas, num período temporal no qual avultavam intérpretes como Joan Sutherland, Cristina Deutekom, Shirley Verrett e Grace Bumbry, às quais me permito acrescentar Marisa Galvany, Radmila Bakocevich, Ljiljana Molnar-Talajic, Rita Orlandi-Malaspina, Rita Hunter, Elinor Ross ou Alda Borelli-Morgan, pese embora, num plano, comparativamente, secundário.

      Eliminar
  4. Caro Hugo Santos,
    Sim, a Sutherland tem grandes momentos, mas sem consoantes nem verdadeiros graves não se fazem Normas completas. Gostava também de referir outras grandes Normas, uma contemporânea da Callase anterior a Caballé, a maior, a Anita Cerquetti, outra conterrâna, a Elena Souliotis e outra que está entre as primeiras que referiu: a Renata Scotto.

    ResponderEliminar
  5. Caro Raul,

    verdadeiramente lamentáveis, estes meus meus lapsos. Gato pela justa correcção.

    ResponderEliminar
  6. J. Ildefonso.18.4.12

    A Caballé continua a ser uma das minhas cantoras favoritas capaz de interpretações absolutamente sublimes mas também de momentos muito sencuraveis. Lembro-me por exemplo de algumas obras "veristas" que gravou.
    O cd triplo Rossini/Donizetti/Verdi rarities está no meu top pessoal de melhores em absoluto.

    PS- Olá Raul.

    ResponderEliminar
  7. Olá João,
    Que obras veristas da Caballé tu não gostas?

    ResponderEliminar