27.3.08

A Traviata de Lisboa


aqui se falou da Traviata de Lisboa e hoje é dia de voltar a falar dela. Aconteceu há exactamente cinquenta anos, no Teatro de São Carlos. No dia 27 de Março de 1958 alguém teve a feliz ideia de gravar o som da récita de Maria Callas e Alfredo Kraus, que veio a ser uma das grandes referências para esta ópera. Infelizmente não se chegou a filmar a récita completa e o que existe, que eu saiba, são apenas estes excertos. É o que há.
Está a ser preparada uma exposição que vai assinalar a vinda de Callas a Lisboa, a inaugurar em finais de Junho na Central Tejo (Museu da Electricidade). Os cenários da Traviata de São Carlos estarão presentes na exposição, assim como fotografias e peças que ainda serão seleccionadas na Associazione Culturale Maria Callas, em Veneza. Do espólio constam vestidos, jóias e documentos.





(kraustrujillo)

3 comentários:

  1. Os meus conhecimentos operáticos são praticamente nulos. Tenho-me dedicado a alguma "aprendizagem" nos últimos anos. La Traviata é uma das minhas últimas aquisições, mas não nesta versão (é uma com Monika Krause). Abraço!

    ResponderEliminar
  2. Só hoje vi esta tua "postagem".
    óptima (ótima?), a relembrar um momento único e inesquecível (felizmente tenho a gravação). Vamos à exposição?

    ResponderEliminar
  3. Rato do campo, mais importante que os conhecimentos é ter interesse e gostar, seja do que for. O resto vem por si. E o resto é o prazer que os sentidos nos dão. Um abraço.

    Cigarra, com esta história do desacordo ortográfico também já não sei. Quem quiser que tire os pês e os cês, porque isso até já é o menos grave.
    Até que a exposição abra, esperemos que não mudem de ideias. O projecto está em fase embrionária, como eles dizem, e a selecção das peças ainda não foi feita. Ninguém sabe qual será o resultado final, mas lá estaremos, com certeza.

    ResponderEliminar